quarta-feira, 24 de julho de 2013

Resenha: Réquiem para um Assasino

Olá, como vão?

Hoje estou aqui para fazer a resenha do livro Réquiem para um Assassino do Paulo Levy, da editora Bússola, parceira do blog.


                              
O livro  venho autografado :) :)

SINOPSE:
Parecia uma manhã como outra qualquer na pequena Palmyra, uma cidade histórica no litoral do Rio de Janeiro. A caminho do trabalho, o delegado Joaquim Dornelas se espanta com um movimento incomum nas ruas. Diante da Igreja de Santa Teresa e da Antiga Cadeia, no Centro Histórico, uma multidão observa o corpo de um homem atolado na lama seca do canal. Ninguém sabe como o corpo foi parar lá. Não há sinais de arrasto, marcas de barco, violência, ferimentos, nada. Apenas um band-aid na dobra interna do braço esquerdo. Abandonado pela mulher e longe dos filhos, o delegado Dornelas, um tipo humano, amante de cachaça e de mingau de farinha láctea, se envolve de corpo e alma no caso em busca de salvação. Sem aviso, a irmã do morto e um vereador poderoso aparecem para dar informações importantes sobre o que se tornaria um caso de dimensões bem maiores do que Dornelas poderia imaginar. Aos poucos se revela uma complexa teia de interesses envolvendo a política, o tráfico de drogas, a prostituição e a comunidade local de pescadores. A intuição aguçada, a cultura e o conhecimento das forças que movem a natureza humana permitem ao delegado Joaquim Dornelas se mover habilmente pelo emaranhado de fatos e versões que a trama apresenta. O que a princípio seria  mais uma investigação na sua carreira, se torna para o delegado uma jornada de transformação pessoal. (Fonte: skoob)


Um homem aparece morte, sem identificação. Uma tarefa difícil seria identifica-lo, porém duas pessoas entram em contato com o responsável do caso,o delegado, e informam que o homem se chama José Aristodemo dos Anjos, um homem que nunca tirou uma carteira de identidade.

Réquiem para um Assassino é o primeiro livro do autor Paulo Levy, que foca em uma investigação, o que eu gosto muito. Apesar de ser o oposto de Agatha Christie, o livro é muito bem elaborado. Não consegui descobrir quem matou o sujeito, apenas quando comecei o antepenúltimo capítulo, eu suspeitava de uma pessoa que não havia matado o José, como sempre eu querendo incriminar as pessoas erradas. O final me surpreendeu bastante, e eu descobri quem realmente matou o sujeito e tudo se esclareceu em minha cabeça.

No livro conhecemos o Delegado Joaquim Dornelas, abandonado pela mulher e separado dos filhos. Um homem que ama o seu trabalho, pois foi amando o seu trabalho que ele perdeu a mulher. Noveleiro igual a mim, Dornelas é um homem inteligente.

Quase toda hora uma luzinha acendia em sua mente e ele rapidamente ia esclarecer o caso. Isso é muito legal, pois ele poderia estar em qualquer lugar que ele saia para investigar. Admito que dei risadas em algumas partes, principalmente as da luzinha.

O autor também escreveu o livro Morte na Flip, onde o delegado também é protagonista. Quero muito ler esse livro. 

Dei quatro estrelinhas para o livro, pois achei alguns errinhos, mas nada que impeça a leitura do livro, recomendo muito.

Até mais!

6 comentários:

  1. Oi :)

    Gostei bastante da sua resenha. O livro parece mesmo ser interessante.

    Abraços,
    Igor Gouveia
    http://www.diariodebordodeumleitor.com/
    (Espero seu comentário lá.)

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Que bom que gostasse do livro :D
    Adoro livros do gênero.
    Bjus!
    Sonholiterario.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também gosto muito de livros policiais.
      Abraços!

      Excluir